© Alípio Padilha

© Alípio Padilha

Uma Coisa Longínqua

Direção artística Igor Gandra

Manipulação e interpretação Carla Veloso, Eduardo Mendes, Igor Gandra e Matilde Gandra

Música e Concepção Sonora Carlos Guedes

Realização Plástica e Direção de Montagem Eduardo Mendes

Manipulação e Interpretação Carla Veloso, Eduardo Mendes, Igor Gandra e and Matilde Gandra

Corealização Vídeo Carlota Gandra

Fotografia de Cena Susana Neves, Alípio Padilha

Direção de Produção Carla Veloso

Oficina de Construção e apoio à rodagem Hernâni Miranda, Maria Rouco e Mário Gandra

Apoio NYUAD’s Innovation Studio - Universidade de Nova York em Abu Dabi

Coprodução Teatro de Ferro e Câmara Municipal do Porto - Programa Cultura em Expansão

Nesta nova criação propomos um objeto artístico que é uma espécie de poesia épica e abstrata que celebra as grandes façanhas de um grupo de objetos (criaturas, criações?) em busca de um outro lugar, ou de outros modos para existir.

As aventuras e desventuras destas entidades enigmáticas são-nos reveladas na forma de um filme rodado e projetado em tempo real. Trata-se de esculturas animadas e filmadas em direto. Elas atravessam diversas situações e cenários que são também espaços sensíveis e sonoros.

Poderíamos estar a falar de ficção científica, de uma utopia num planeta distante ou de um sonho em que algumas esculturas mais ou menos monumentais decidiram silenciosamente abandonar as plazas entre os grandes edifícios das poderosas empresas multinacionais e instituições financeiras globais. Depois da fuga as obras de arte emancipadas reuniram-se no deserto, dispostas a procurar outras possibilidades para a sua existência no mundo das coisas.